O que é o vistoria cautelar veicular e qual a sua importância?

laudo cautelar veicular
10 minutos para ler

Você já ouviu falar em laudo cautelar veicular? Se pensa em vender seu veículo ou comprar um novo, a vistoria cautelar pode evitar diversas dores de cabeça. Isso porque ela ajuda a identificar problemas e serve de alerta para o comprador saber se está entrando em uma fria.

Caso algum item do veículo não esteja regularizado, ele pode acabar sendo reprovado — daí a importância de estar atento e descobrir quais equipamentos podem motivar uma inspeção negativa, corrigindo-os, sempre que for necessário.

Neste post, você vai descobrir as principais informações sobre o assunto, como o que é um laudo veicular, qual é a sua importância, o que deve estar contido nele e outros tópicos pertinentes sobre o tema. Preparado? Então, vamos lá!

O que é um laudo cautelar veicular?

O laudo cautelar veicular é um relatório completo sobre o estado do veículo, certificando que o carro está aprovado para circular, com as devidas identificações regulares. A vistoria é rigorosa, devendo ser feita por empresas especializadas e certificadas.

Essa avaliação leva em conta a autenticidade dos documentos, garantindo que você não está sendo vítima de um golpe, na hora de realizar a compra. Além disso, qualquer tipo de problema é analisado, como multas não pagas, licenciamento atrasado, além de outras pendências e restrições.

A vistoria cautelar se diferencia da inspeção veicular, por não avaliar a parte mecânica do carro. No caso da inspeção, o procedimento é realizado por um engenheiro ou um técnico certificado, seguindo as regulamentações do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

Qual é a importância do laudo cautelar veicular?

O laudo regulariza a venda do veículo, ou seja, permite que o carro rode sem a preocupação de pendências ou problemas com a lei, evitando também que você adquira um veículo adulterado ou clonado. Além disso, o documento também proporciona maior segurança ao motorista — e, como consequência, aos passageiros e às outras pessoas no trânsito.

Você já deve ter ouvido alguma história de proprietários que receberam o carro com defeito — seja nos equipamentos obrigatórios, nos itens de segurança ou de identificação, como chassi e motor. E ainda pode ser pior, como casos em que a documentação é adulterada e o carro tem histórico de roubos e fraudes. Portanto, a vistoria serve justamente para evitar esses cenários, garantindo a procedência do carro para a revenda e contribuindo para prevenir acidentes.

Qual a diferença entre vistoria cautelar e vistoria prévia?

vistoria cautelar é usada para evitar golpes, na hora da compra. Já a vistoria prévia é voltada para a contratação de um programa de seguros, garantindo que o carro existe e definindo o seu verdadeiro estado de conservação. A grande diferença entre elas é a função. A cautelar é feita para garantir que o próximo dono tenha um carro em perfeitas condições de uso, enquanto a prévia, para analisar os riscos, quando a seguradora for assegurar o automóvel.

Quanto custa a vistoria e quem deve pagá-la?

O valor a ser pago pela vistoria varia de estado para estado, além de depender da empresa que o proprietário vai contratar para realizar o serviço. No entanto, o preço costuma variar entre R$120,00 e R$200,00. Quanto à responsabilidade do pagamento, é dever da pessoa que está vendendo o veículo arcar com os custos da vistoria.

Quais informações devem estar contidas no laudo veicular?

A vistoria certifica diversos pontos de identificação do carro — em média, são cerca de 150 itens analisados. Entre eles, podemos destacar o câmbio, número do chassi e do motor, etiquetas de identificação, vidros, pintura, faróis, limpadores de para-brisa, escapamento, velocímetro, odômetro, suspensão, pneus, itens de segurança, equipamentos obrigatórios e documentação.

A vistoria também averigua diversos registros do carro, como envolvimento em sinistros, participação do modelo em leilão (seja de fábrica, bancos ou penhor), bloqueios administrativos (como dívidas ativas ou débitos de IPVA), histórico de furto e roubo, placa danificada ou lacre suspeito. Se o carro for aprovado, o laudo descrevendo o estado do veículo é emitido, certificando todos os itens e a autenticidade dos números e da documentação.

Em média, 85% dos carros são aprovados na vistoria cautelar por apresentarem condições normais de uso, embora também seja comum o serviço apontar a necessidade de que pequenos ajustes sejam realizados. Ainda que o índice de reprovação seja baixo, a importância da vistoria é reforçada, por ser uma providência preventiva crucial.

Quais as consequências de não fazer a vistoria cautelar?

Com o laudo cautelar em mãos, o comprador de um veículo usado ou seminovo vai evitar entrar para o grupo de pessoas que precisam enfrentar problemas financeiros, após a aquisição, além de reduzir as chances de que um acidente aconteça. Confira outras consequências de não fazer a vistoria.

Risco de apreensão

Muitas pessoas pensam que a não realização da vistoria representa apenas problemas simples, mas também há consequências bastante graves. Como a documentação pode estar irregular, há riscos até mesmo de o carro ser apreendido.

Exposição a perigos

Como já abordamos, diversos são os itens analisados durante a vistoria. Caso os itens de segurança essenciais para a segurança do motorista e dos passageiros estejam com algum problema — como cinto de segurança, extintor de incêndio e freio de mão, por exemplo —, os defeitos não serão descobertos e poderão passar muito tempo sem ser notados, colocando a vida de todos em risco.

Vulnerabilidade a golpes

A clonagem de carros é um golpe cada vez mais comum, e você pode evitar cair nele fazendo a vistoria cautelar. Se a análise da procedência do carro não for feita, você pode acabar tendo em mãos um veículo clonado e ter que encarar diversas burocracias — entre os processos necessários, está a contratação de um advogado, a ida à delegacia para fazer um boletim de ocorrência e a notificação do fato junto ao Detran.

O que pode reprovar um veículo na vistoria veicular?

reprovação na vistoria do carro pode ocorrer em duas situações: quando existe algum problema com os itens originais do automóvel — ou seja, no caso dos itens terem sido adulterados, sem seguir as especificações do fabricante — ou quando há problemas em algum acessório ou equipamento. A seguir, separamos algumas questões que podem reprovar um veículo na vistoria. Confira!

Integridade da suspensão

A suspensão é um dos sistemas mais importantes do veículo, e qualquer falha já pode comprometer o seu desempenho. Por esse motivo, a integridade da suspensão é um dos principais pontos observados durante a vistoria veicular. Os motoristas que não querem ser reprovados na inspeção devem, acima de tudo, evitar rebaixar o automóvel, pois essa modificação pode alterar a suspensão original do modelo.

Numeração do chassi

Como uma identidade para o veículo, a numeração do chassi traz diversas informações, como a montadora e o local em que o carro foi montado. Números de chassi ilegíveis, assim como outros detalhes que comprometam a identificação veicular, podem levar à reprovação na vistoria, sendo necessário ter o chassi remarcado para resolver o problema. Para isso, você terá que receber a autorização prévia do Detran.

Sistema de sinalização

As lanternas de sinalização do carro — popularmente chamadas de setas —, estão incluídas nos itens avaliados durante uma vistoria automotiva. Além disso, foi identificado algum problema de funcionamento ou uma mudança de cor no equipamento, durante a vistoria? O veículo, com certeza, será reprovado.

Vidros e janelas

Muitas pessoas têm o hábito de colocar películas de proteção nos vidros do carro — o famoso Insulfilme —, mas é essencial que a instalação siga as normas do Código de Trânsito Brasileiro. Se forem instaladas películas incorretas, ou mesmo os modelos refletivos, o veículo será reprovado.

Etiquetas e gravações nos vidros

Outros itens analisados na inspeção são as etiquetas de identificação, as gravações nos vidros e as possíveis quebras ou rachaduras nas janelas. Portanto, é essencial que tudo esteja adequado e em perfeito estado para passar na avaliação.

Pneus

Um item que também pode motivar uma reprovação são os pneus. Afinal, eles devem estar em ótimo estado para oferecer a segurança necessária ao novo motorista, além de precisarem ter uma largura que não ultrapasse a carroceria. É válido, ainda, dar atenção aos equipamentos necessários para a troca dos pneus, pois eles também são observados na vistoria veicular.

Documentação

Além de inspecionar os mecanismos do veículo, a vistoria cautelar ainda cuida da parte burocrática do modelo, ou seja, toda a sua procedência também é analisada. Assim, durante o serviço, a situação completa do carro é verificada em busca de possíveis restrições ou pendências. Isso é importante, para que o novo proprietário, após fechar a compra, não tenha nenhuma dor de cabeça no futuro.

Afinal, dependendo do tipo de pendência ou dívida, é possível que ele tenha que enfrentar problemas jurídicos ou financeiros. Se o automóvel tiver alguma dívida com licenciamento, IPVA ou até mesmo multas não pagas, pode ter certeza de que ele vai ser reprovado durante a vistoria.

E se o carro for reprovado na vistoria?

Se um automóvel não for aprovado, é necessário agendar uma nova análise dos itens passíveis de regularização. Por isso, é importante ficar atento aos itens que apresentamos e adotar todas as medidas necessárias para regularizar o veículo. Se for reprovado por adulteração, evite adquirir ou vender este veículo. Afinal, o laudo veicular é muito importante para facilitar a revenda do automóvel, além de trazer segurança para o motorista, prevenir acidentes e ainda contribuir para que nenhuma norma seja descumprida.

Não se esqueça de avaliar bem a empresa de vistoria cautelar, antes de fazer a sua escolha, pois é muito importante recorrer a profissionais especializados para realizar o serviço. Então, é essencial verificar se a empresa é uma ECV, isto é, uma Empresa Credenciada de Vistoria.

Você curtiu o nosso conteúdo sobre o laudo veicular? Então, deixe seu comentário e compartilhe com a gente o que você achou deste post!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.