fbpx

Subscribe Now

* You will receive the latest news and updates on your favorite celebrities!

Trending News

Como evitar veículo adulterado? Veja a importância da vistoria preventiva
Vistorias

Como evitar veículo adulterado? Veja a importância da vistoria preventiva

Por ser um negócio de valor considerável, a compra de um carro deve ser feita com bastante cautela. Apesar do lado emocional pesar bastante nesse momento, por ser uma grande realização, é preciso ter objetividade para tomar uma boa decisão. Caso contrário, as chances de levar para casa um veículo adulterado são grandes.

Para não correr esse risco, é necessário observar diversos fatores do carro (documentação, pintura, entre outros). Dessa forma, seus riscos diminuem. Quer saber mais sobre o assunto? Está tudo logo abaixo!

O que é um carro adulterado?

Um veículo adulterado sofreu alterações em alguma de suas características originais, com o intuito de ocultar seu histórico de utilização. A quilometragem elevada, a ocorrência de um acidente ou algum tipo de restrição são exemplos de informações que podem passar despercebidas em um carro adulterado.

A prática de adulterar essas informações de um carro é considerada estelionato e enquadrada no art. 171 do Código Penal Brasileiro, pois é uma ação que objetiva levar alguém ao erro e, assim, obter vantagem ilícita. No entanto, na prática, vemos que muitos vendedores desonestos fazem esse tipo de coisa. Além disso, um veículo adulterado pode ter problemas em suas placas, chassi ou documentação, como é o caso dos carros roubados e clonados. Isso também está enquadrado no Código Penal, no art. 311.

Quais são os principais tipos de adulteração?

No tópico anterior, demonstramos o que é um veículo adulterado e exemplificamos essa ocorrência. A seguir, veja mais detalhes sobre cada um dos tipos de adulteração.

Hodômetro

Essa é umas das adulterações mais frequentes. Como a quilometragem do carro é um fator muito relevante para a venda, os vendedores desonestos costumam adulterar o hodômetro para que o veículo aponte uma menor distância percorrida. Antigamente, com os marcadores analógicos, era praticamente impossível descobrir a adulteração. Hoje, os hodômetros digitais também podem ser adulterados, mas eles costumam deixar vestígios na central eletrônica do carro.

Vidros

Todos os vidros de um carro têm a marcação de fábrica dos últimos números do chassi. Um vidro sem essa marca pode ter sido trocado por conta de uma quebra ou batida. Vale ressaltar que existem adulterações que tentam fazer com que as marcações pareçam ser de fábrica, enganando o comprador.

Placas

As placas de identificação podem dizer bastante sobre o histórico de um carro. Nelas, é possível saber o Estado em que foi fabricado e o ano. Isso é feito por meio de um pequeno código, que também aparece na tarjeta do nome da cidade. Um carro novo com placa antiga pode ser indício de clonagem, da mesma forma que um veículo com placas novas pode ter sido batido e danificado. No entanto, essas informações precisam ser checadas com outros parâmetros, pois a placa pode ter sido trocada apenas por estar desbotada.

Chassi

Cada carro fabricado no planeta possui uma diferente numeração de chassi. Por meio dela, é possível descobrir o fabricante, o modelo do carro, onde e quando ele foi fabricado. Quando um veículo é roubado, uma das primeiras atitudes do bandido é adulterar o chassi para dificultar a sua identificação.

Powered by Rock Convert

Documentos

Os documentos do veículo representam outro alvo de adulteração dos criminosos. O objetivo é facilitar a passagem do carro por barreiras de fiscalização. Hoje, existem quadrilhas especializadas em roubar documentos em branco e aproveitá-los em carros roubados.

Motor

Assim como o chassi, cada motor tem a sua própria numeração. Esses dois códigos são informados pela montadora ao Denatran, ficando associados a partir de então. Isso serve para dificultar roubos e desmanches de um carro. A adulteração do motor serve para substituir um com problemas mecânicos por outro em bom estado.

Peças

Muitas peças recebem a data de fabricação. A mais conhecida é o cinto de segurança, mas muitas outras também apresentam essa informação, como faróis, lanternas e rodas. Isso é bom para saber se um carro teve peças substituídas, indicando a ocorrência de um acidente no passado.

Manual do proprietário

Cada revisão feita na concessionária é registrada no manual do proprietário. Lá, estão também a data e a quilometragem que o carro tinha na época. Assim, é possível identificar prováveis adulterações no hodômetro, comparando essas informações. Além disso, é importante desconfiar de um carro que não tem o manual.

Quais são os perigos de comprar veículos adulterados?

Os riscos que uma pessoa corre ao comprar um veículo adulterado são diversos. Os mais comuns são: o prejuízo o financeiro por conta da desvalorização acentuada e a possibilidade de responder criminalmente pela adulteração.

Outro risco é confiar em um carro que pode não estar nas condições ideias de segurança. Imagine um automóvel que já foi batido e consertado sem os devidos cuidados. Caso venha sofrer um acidente com esse veículo, os dispositivos de segurança, como os airbags, podem não funcionar adequadamente.

A quem recorrer ao adquirir um veículo adulterado?

Caso você tenha comprado um carro que só depois descobriu que ele foi adulterado, saiba que é possível resolver esse problema. Nesse caso, é necessário contratar um advogado para ajuizar uma ação por danos materiais contra a pessoa ou empresa que lhe vendeu o automóvel. Além disso, você precisará provar que já comprou o carro no atual estado de adulteração para conseguir a reparação de danos. De todo modo, o melhor mesmo é tomar os devidos cuidados para não passar por esse prejuízo.

Como evitar cair nessa armadilha?

Como vimos, comprar um veículo adulterado acarreta inúmeros problemas. A boa notícia é que todos, até mesmo quem tem pouco conhecimento em automóveis, podem colocar em prática atitudes simples e adquirir um carro sem histórico “nebuloso”. Basta fazer uma vistoria preventiva antes de fechar o negócio. Nesse procedimento, serão verificados todos os itens que podem indicar algum tipo de adulteração. Caso o vendedor se negue a liberar o carro para uma vistoria, desconfie e procure outro veículo no mercado.

É importante ter cuidado na escolha da empresa de vistoria. Ela deve contar com estrutura apropriada, pessoal qualificado e ferramentas atuais, como é o caso da Olho Vivo Vistorias. Assim, você não corre o risco de comprar um veículo adulterado.

Quer saber mais detalhes sobre os serviços de vistoria preventiva? Então, entre em contato conosco agora mesmo!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *