5 ruídos no carro que indicam um problema e como identificá-los

Mecânico verificando o motor
6 minutos para ler

Você está andando com o veículo pela cidade rotineiramente. Escuta um som estranho e uma série de perguntas cruzam sua mente “Será que é motor? E se for suspensão? Quanto custará a manutenção?”. Este post foi escrito, justamente, para ajudar você a identificar os ruídos no carro que indicam um problema.

Cansado de ficar com a pulga atrás da orelha por causa dos barulhos? Decidimos explicar, nos próximos tópicos, quais são os sons mais comuns, assim como algumas dicas de como identificar cada um. Preparado? Então, vamos lá!

Por que fazer manutenções periodicamente?

“Vida útil” é um conceito que você, provavelmente, já ouviu falar. Expressa a durabilidade de um produto, ou seja, até quando um item vai funcionar, de acordo com o esperado e desempenhar bem sua função. Quando você compra um carro, também adquire uma série de peças com vidas úteis distintas, necessárias para fazer o veículo funcionar.

Isso é especialmente verdadeiro ao falar de carros usados, por exemplo. Cada peça, quando trocada, representa um gasto. A manutenção serve para prolongar a vida útil e fazer com que você rode com o veículo com menos trocas, prevenindo problemas e trazendo mais segurança.

Quais são os ruídos no carro que indicam algum problema?

Bate uma preocupação quando surge um barulho estranho, na hora de acelerar o carro, não é mesmo? Você pode conferir alguns dos ruídos no carro que indicam um problema, a seguir. É só conferir!

1. Grilo

O som de grilo costuma ser emitido pela correia dentada, enquanto você dá a partida ou acelera. A peça conta, majoritariamente, com borracha e é preciso prestar bastante atenção no seu tempo de vida. O objetivo da correia dentada é sincronizar o movimento do virabrequim e o comando das válvulas. Isso faz com que seu funcionamento seja tão importante.

A peça não costuma ser cara, mas a mão de obra, geralmente, exige mais. A razão é a necessidade de experiência e precisão, por não ser uma tarefa fácil. Ainda assim, o ruído, nem sempre, simboliza a necessidade de troca. Em alguns casos, um spray lubrificante pode solucionar o problema.

2. Agudos

Os sons agudos estão entre os ruídos no carro que indicam um problema e não por acaso. O “cantar” dos pneus costuma ser um som natural, mas isso muda, dependendo da frequência. Afinal, o som também pode estar associado ao desalinhamento. Se você reparar, os carros mantêm as rodas paralelas entre si e perpendiculares ao chão. É isso que permite o controle correto nas curvas.

Quando o carro está desalinhado, a distribuição de atrito deixa de ser uniforme. Nesse caso, há partes dos pneus que estão mais em contato com o chão e isso origina o ruído. Boa parte das vezes, o desalinhamento é denunciado por outros fatores, como a direção “puxando” para um dos lados.

3. Estalos

Os estalos costumam acontecer na hora de dar a partida e têm relação com o coxim, uma peça feita para absorver as vibrações. Como a correia é feita, em grande parte, de borracha, os defeitos aumentam a trepidação nas peças. Existem outros sinais de que o coxim não está bom. Por exemplo, quando você dá a partida e a alavanca se movimenta. O som de metal sobre metal acontece quando a borracha se desgasta e rompe.

Outro ponto que você pode observar é a dificuldade de engatar marchas, sinalizando o mesmo problema. Caso o som de estalo surja durante as curvas, pode representar problemas na junta homocinética — a peça responsável pela transmissão entre o diferencial e as rodas.

4. Ronco

O ronco se destaca entre os ruídos no carro que indicam um problema e costuma ser associado aos rolamentos da roda. São esferas de aço presas entre dois anéis e o objetivo é ajudar a girar mais facilmente, ficando, dentro do cubo, uma peça que fixa a roda e transmite a rotação. Geralmente, a manutenção é feita com ajuda de um macaco ou elevador, já que é preciso permitir que as rodas girem livremente.

O rolamento não costuma interagir bem com o calor e a umidade. Por isso, vale pensar na lubrificação. Os roncos são o tipo de som que sempre despertam preocupação. Isso porque falhas no rolamento podem simbolizar problemas de segurança, prejudicando a direção do carro e colocando o motorista em risco.

5. Batidas secas

Batidas secas, geralmente, surgem nas lombadas e costumam representar problemas na suspensão. Aqui, vale ficar de olho, já que é a parte responsável por manter o veículo estável. Isso não pesa apenas para o conforto, mas também para a segurança. Se os componentes não se desgastam rapidamente pelo impacto com o solo, isso se deve à absorção de impactos da suspensão.

Ela é composta de peças, como amortecedores, molas, braços oscilantes, pivôs e por aí vai. Aqui, o problema pode ter relação com o tipo de estrada que você costuma percorrer. Ambientes urbanos costumam exigir menos do sistema, diferentemente de estradas de terra irregulares.

Por que investir em uma vistoria?

Se você quer vender um veículo, de forma tranquila, ou comprar com segurança, a vistoria cautelar costuma ser uma boa opção, pois é importante também analisar se não está adquirindo um veículo adulterado ou clonado.

Manter os ouvidos bem atentos, ao dirigir, pode ajudar a identificar os ruídos no carro que indicam um problema. Ainda assim, isso não dispensa a necessidade de manutenção e de garantir a procedência do veículo. Os cuidados também são úteis para valorizar o carro no momento da venda, sendo importante não apenas para se livrar dos ruídos, como também para manter a limpeza, conservar a pintura, guardar comprovantes de manutenção, etc.

E você? Que tal realizar sua vistoria em uma ECV especializada e experiente? Então, não deixe de entrar em contato com a gente!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.