Saiba qual é a diferença entre alinhamento e balanceamento!

Pneu - alinhamento e balanceamento
6 minutos para ler

Você sabe a diferença entre alinhamento e balanceamento? Se você pensa em prolongar a vida útil do veículo e garantir que a maior parte dos componentes estão funcionando bem, essas são algumas das principais práticas que você pode prestar atenção.

Ainda assim, a dúvida surge na mente de muitos motoristas e decidimos produzir este post, justamente por isso. Você vai ver algumas das principais diferenças, além de descobrir quando fazer os procedimentos, entre vários outros pontos. Vamos lá?

O que é alinhamento?

O alinhamento é o processo que mantém as rodas paralelas entre si e com 90°, em relação à pista. É isso que faz com que o volante fique centrado, sem “puxar” para um lado ou para outro. A ideia é fazer com que a banda de rodagem toque o chão da forma certa, sem uma relação incorreta de atrito.

Uma das consequências é a economia de combustível, já que o contato com o chão é uniforme e não exige força desnecessária do motor. Ainda há a preservação de outros componentes. E quais são eles? Molas, amortecedores e pneus. A recomendação mais comum é de conferir o alinhamento a cada 10.000 km rodados, mas, você não precisa esperar isso. Passou por um buraco assustador? Pode conferir o alinhamento.

O que é balanceamento?

Você sabia que os pneus não mantêm, necessariamente, o mesmo formato, ao longo de sua vida útil? Com o tempo, o diâmetro (medida da circunferência) muda, e isso faz com que o desgaste também se torne irregular. O balanceamento serve, justamente, para corrigir isso.

A ideia é recuperar o equilíbrio, por meio de contrapesos de chumbo, aumentando a estabilidade. A trepidação que o desbalanceamento provoca costuma ser percebida no volante. Aqui, vale investir no procedimento ao trocar os pneus ou fazer rodízio.

Carros não balanceados costumam enviar sinais, como mudança na direção acima dos 30 km/h. Se o volante se mover sozinho, isso costuma ser outro sintoma. Tenha em mente que os dois procedimentos são diferentes da cambagem, responsável por corrigir o ângulo de câmber (inclinação no plano vertical) do carro.

Quais são as principais diferenças?

Embora os procedimentos sejam citados e feitos com alguma frequência juntos, isso não significa que sejam a mesma coisa. Decidimos mostrar algumas das principais diferenças entre alinhamento e balanceamento nos próximos tópicos.

Sinais

Embora boa parte das pessoas acredite que o alinhamento e o balanceamento devam ser feitos em sequência, isso não é necessariamente verdade. A recomendação costuma ser verificar os parâmetros de um ao executar o outro. O principal sinalizador de balanceamento é o volante vibrando.

Mas, não é o único — ruídos em certas velocidades e desgaste irregular também costumam ser sintomas, já que a roda passa a apresentar diferenças de massa. Já o alinhamento é denunciado quando o carro “puxa” para um dos lados. Direção pesada, pneus cantando e banda de rodagem se desgastando em forma de escama também são sinalizadores.

Utilidades

Como falamos, embora seja comum ouvir falar das duas práticas juntas, a diferença entre balanceamento e alinhamento também aparece na utilidade. A função do alinhamento é simples — corrigir o ângulo das rodas. O processo é importante porque permite que você tenha domínio do veículo nas curvas. A dirigibilidade é mais firme, assim como a sensação de controle.

Já o balanceamento conta com uma função um pouco diferente. Seu objetivo é fazer as rodas girarem, sem transmitir vibrações. Interfere diretamente no desempenho dos pneus, e a trepidação costuma ser notada em outros componentes do carro, como banco e painel de acessórios.

Riscos

A falta dos dois procedimentos provocam problemas, mas, de formas distintas. Um carro desalinhado costuma gastar mais combustível, ter desgaste dos pneus mais acentuado e ainda contar com direção instável. O problema é que, nem sempre, isso é fácil de perceber. Os problemas de condução costumam ficar mais claros na hora de frear ou desviar bruscamente de um obstáculo.

Já o desbalanceamento costuma acelerar o desgaste de peças do carro. Aqui, entram amortecedores, pneus, peças de acabamento, e por aí vai. A razão é a trepidação, exigindo mais dos conjuntos do veículo. Materiais com plásticos e borrachas leves tendem a sofrer mais.

Benefícios

Agora que você conhece os prejuízos que a falta de alinhamento e balanceamento podem provocar, é hora de conhecer os benefícios dos procedimentos, certo? O principal ponto forte do balanceamento é prevenir o desgaste prematuro da banda de rodagem. Ainda assim, esse não é o único. A direção se torna mais suave e o carro passa a exigir menos do trem de força.

O alinhamento também traz suas vantagens, incluindo melhor manuseio do veículo e aumento na eficiência de combustível. Um ponto forte que aparece nos dois procedimentos é o aumento em uma boa quantidade de quilômetros na vida útil dos pneus. E como perceber isso? Na prática, basta observar sinais como furos, envelhecimento, desgaste, inchaços, entre outros.

Causas

As diferenças entre alinhamento e balanceamento também aparecem nas causas. O alinhamento corrige a suspensão do veículo, de acordo com alguns referenciais (ângulos). Por isso, o desalinhamento é provocado por problemas específicos. Entre eles, irregularidades, impactos violentos, pneus incorretos, direção agressiva, carregamento de peso e defeitos nas peças de suspensão.

Já o balanceamento está ligado às correções no desbalanceamento de peso das rodas. Nesse caso, conta com razões um pouco diferentes, como desgaste natural, imperfeições dos pneus e impactos repentinos. Os valores dos dois serviços costumam ficar entre R$80,00 e R$250,00.

Conhecer a diferença entre alinhamento e balanceamento é útil para se prevenir contra a “empurroterapia”, quando os mecânicos agem como vendedores e convencem você a pagar por um serviço que você, originalmente, não quis. Vale ficar de olho nesses detalhes ao revisar o veículo, especialmente antes de uma viagem. Assim, você ainda descobre outros possíveis problemas na bateria, no câmbio, nos pneus, na embreagem, etc.

E você? Está a fim de mostrar para seus amigos as diferenças entre alinhamento e balanceamento? Então, não deixe de compartilhar este post, para que eles também fiquem por dentro do assunto!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.